Páginas

6.7.09

Um presente de um amigo

Um destes dias, à conversa com o Gustavo, fomos parar ao tema dos juniperus. Como é que crescem, a poda, a aramação, etc. Pergunta para cá, resposta para lá e dei por mim a concluir que, de facto, não fazia ideia de como fazer correctamente a selecção e aramação fina destas árvores. Tinha uma ideia aproximada, mas nunca me tinha confrontado com esta questão.
A certa altura, no meio de tanta pergunta o Gustavo respondeu: "Vamos ali a minha casa".
Com a generosidade que lhe é peculiar, explicou-me o processo, desta vez com exemplos. "Primeiro limpas assim... atenção a estas situações... o arame deve ficar da seguinte forma". No fim, pegou num pequeno e farfalhudo juniperus que já tinha levado os primeiros trabalhos de modelação e disse: "Toma este. Tira o arame, limpa e volta a aramar. É teu, treina.".
Voltei para casa muito entusiasmado e pus mãos à obra. No dia seguinte, já no meu espaço, mostrei-lhe o trabalho. "Não está mau.". Mais uns pequenos toques e o resultado é este:
Foto: Julho 2009
Mais do que a pequena árvore de que gosto muito,
o maior presente foi a lição.
Obrigado Gustavo.

4 comentários:

Nuno Encarnação disse...

Viva, João.
Ficou muito bom. Aopenas encurtava aquele primeiro jin logo na base do tronco. Mas gostei muito, com toda a sinceridade.
Um abraço,
Nuno

João Pires disse...

Viva, Nuno.

Bem vindo e obrigado pelo comentário.
A madeira morta foi começada pelo Gustavo e ainda não foi repensada. Já tenho algumas ideias mas vou aguardar mais um pouco para ter os resultados da aramação (enfim... ter a certeza que não se perdeu nada, ver a coisa com um pouco mais de massa verde...). O jin que referes é de facto "intrigante". Também já pensei em reduzir. Por outro lado, é uma daquelas características diferenciadoras que podem dar um toque especial ao projecto. Penso que quando a massa verde encher mais, tudo vai ficar mais claro.

Abr.
João

PS - Dá um salto ao forum de Sintra. Estão lá a decorrer uns tópicos bem interessantes. Penso que ias gostar.

Rui Ferreira disse...

Olá João
Já experimentaste inclinar a árvore ligeiramente para a esquerda para acentuar o movimento e também fortalecer a supremacia do tronco principal sobre o secundário?
Só tenho uma pergunta, na foto parece (mas não tenho a certeza e daí a pergunta) que o topo do tronco secundário se dirije na direção do tronco mãe?Se for esse o caso não será melhor diriji-lo para o exterior na procura da luz?

João Pires disse...

Olá Rui,

Bem-Vindo e obrigado pelo comentário.

Sim, de facto o tronco principal deverá ter supremacia sobre o segundo (essa aprendi mais recentemente ;) ). Na verdade, este foi o meu primeiro projecto de aramação fina e por isso, estive mais concentrado nessa parte e menos no todo.
A fotografia engana. O tronco secundário dirige-se principalmente para trás para dar profundidade. Mas, visto pela frente, parece mesmo estar a crescer para dentro. Talvez quando os pequenos rebentos (mal se vêm) que apontam para fora crescerem, possa-se corrigir a situação.