Páginas

16.8.10

Drifting Wood

Madeira morta. É o termo que costumamos utilizar. Mas na verdade, madeira flutuante seria mais correcto. Em Taisho-en, a madeira flutuante existe, principalmente nos juniperus. Há alguns pinheiros e prunus, mas essa característica é típica dos juniperus.
Por estes dias, para além da rega e da adubação, continuamos de volta dos shimpaku. Asanuma até brinca... “Shimpaku factory”... e é a gargalhada geral ;). Pois bem, para não ser aborrecido com os leitores deste espaço, não vou continuar a mostrar mais fotos de Itoigawa transformados. Por isso, o capitulo de hoje, é dedicado à madeira flutuante. Drifting wood.
Mito nº1: No Japão só se trabalha a madeira com goivas... nem por isso. Na verdade, trabalha-se com o que der o melhor resultado. Já experimentei umas goivas Masakuni fantásticas, mas também já fiz o trabalho com máquina. Depende... como diz Oyakata, o mais importante é deixar a madeira limpa. Por vezes é puxada manualmente pelos veios, mas na maioria das vezes è simplesmente limpa da casca. Isto quando não se trata de Yamadori com madeira flutuante original. Depois, vai amadurecer no tempo. E depois, é trabalhada sob pressão. O mais normal é jacto de areia, mas também pode ser de água. Varia de caso para caso.

Exemplo da madeira depois de limpa com jacto de areia

Aqui ficam algumas imagens da “Drifting wood” de Taisho-en.








3 comentários:

Márcio Meruje disse...

Olá João,

Belo, belo, belo !

Eu já há uns anos que sou apaixonado por um enorme juniperus que tem um jin que passa por toda a copa... Ainda está por aí ? :)

Continuação !


Abraço, abraço...

David disse...

Olá João,

Sem me querer repetir, fantástico mesmo obrigado pela partilha e tu sabes bem o quanto eu vibro com estas formas naturais :)

Espero que já estejas mais ambientado e que estejas aproveitar todos os momentos :)

Já sabes quando voltares, fica já o convite para uma "matinal" no meu viveiro para vermos as árvores e contares-me esta história toda ao vivo :)

Grande abraço,
David

Pedro G C Almeida disse...

Olá João,

Por mim podias continuar a publicar os shimpaku se te apetecesse, isso traz-me boas recordações. :)

Estes exemplos de madeira morta são fantásticos. Obrigado por partilhares!

Márcio, penso que consegues ver a tal árvore de que gostas na última foto da primeira mensagem do João no Japão, junto ao canto superior esquerdo. Se houver árvores que que não sairão de Taisho-en, então esta deverá ser uma delas... a propósito, a árvore em causa é gigante!

Abraços,
Pedro